terça-feira, 21 de setembro de 2010

Dar a felicidade ao purgatório

Esta noite sonhei que estava despido, os meus poros chamavam vorazmente o frio e nada mais que o frio a si, tortuosos. Eu gelado e tu sem pingo de vida à minha frente mas ainda assim mais quente que eu. Tu serena de olhos abertos e pousados num infinito maior que nunca tive capacidade de sequer idealizar, do qual me contavas coisas que nunca antes ouvira como reais mas que ansiava, para o qual me bastava ter sabido pegar-te na mão, umas vezes apertá-la e noutras confiar que me guiasses. Mas bati-lhe. Aguardei que perante a ameaça se curvasse ao domínio da força cega intransigente. Rebelou-se. Num lance rápido, mais que o que eu imaginaria possível e sem previsão, com a ajuda da mão livre, caiu decepada por um sabre aos meus pés assim que me libertei de uma mão moribunda ao primeiro jorro de sangue. Uma mão aberta que me teria amparado nas quedas e afagado o rosto ao final do dia, a mão que pousou no peito numa noite e me disse "juro que sou tua" a mão que me indicaria o caminho à felicidade, ali a perder-se da vida num chão onde antes dançáramos.

Nunca pensei... quando te dizia que te amava, desconhecia que sequer merecia dirigir-me a ti.

11 comentários:

provocação disse...

Portanto, correndo o risco de ser básica e tal, de não estar a dar espaço ao lirismo literário de não estar a ver o escritor-actor, yada yada, basicamente tu bateste-lhe e ela largou-te???

Anónimo disse...

Esquece Provocação, algo me diz que ele não sabe ler as caixas de comentários :(

jacklyn disse...

Já eu acho que o autor do blogue despreza profundamente quem deixa comentários de admiração e deslumbre. Nunca responde, nunca comenta, nunca contraria. Despreza.

Mais um homem... disse...

Não desprezo, sinto-me despido caso responda directamente a perguntas que prefiro que se mantenham no ar. Escrevo para conseguir arrumar ideias na cabeça o que não quer dizer que consiga depois vir conversar sobre situações que me são penosas. Desprezo, nunca! Até fico surpreendido que haja quem leia frequentemente, às vezes sinto-me tão pobre. Fica sempre tanto por dizer na verdade.

jacklyn disse...

Aceito e percebo que escrever seja como tentar fazer o puzzle. Para mim também é, tentar encontrar algum sentido entre os pensamentos e sentimentos que âs vezes parecem totalmente desprovidos de lógica. Mas houve um post seu que me deu a sensação que as reacções que os seus posts causavam às mulheres em geral o enjoavam. E sim, nunca se diz tudo. A ninguém.

Mais um homem... disse...

Que post foi esse??? Não foi de todo a intenção e gostava de perceber como é que isso passou...

jacklyn disse...

Foi este:

http://homememti.blogspot.com/2009/07/mundo-de-mulheres.html

E a minha interpretação foi essa.

Diga-me se me enganei, se na altura não foi isso que sentiu.

Mais um homem... disse...

Não falava do meu blogue. Existia na altura um blogue de um indivíduo que advogado e que tinha um timing expecífico até para encerrar o blogue. Admitia que o fizera por mera caturrice com um amigo e que desprezava quem o seguia, quem não concordava e quem não tinha o seu tipo de vida hedonista. Foi bonito de se ver mulheres cujos blogues li curioso e que se diziam precisamente o contrário do que depois nele procuravam. Foi esse o desabafo. Nunca sobre o meu próprio blogue e leitores, isso seria deplorável.

jacklyn disse...

Aceito. Mas não consigo deixar de achar que da forma que descreve o que sente pelas mulheres que lhe vão passando pelas mãos, há aí uma pontinha de desprezo pelas mulheres em geral. Talvez porque a única que lhe interessa não estar ao seu alcance. Ou por julgar que não está ao seu alcance. Desculpe-me mas é o que absorvo da sua escrita. Entre outras coisas, claro.

Anónimo disse...

Não! Não estou(sou)deslumbrada! Mas sinto-lhe a falta e até me pergunto: O que será feito de si. Imagino-o, descendo ruas, percorrendo vielas...sempre por atalhos. Li tudo, sem fascínio, sem crítica e tudo me pareceu bem.
Espero que "volte" e diga...

CoisasDaGaja disse...

Achei que deveria partilhar. Achei. http://ministremocosesaltosaltos.blogspot.com/2010/11/olhos-que-devoram-blogs-2.html

Não é com a intenção de publicitar o meu blog, é apenas para que veja. Se achar pertinente publicar o comentário faça-o, senão isso é o menos.

Gosto da forma como escreve. Homem ou mulher pouco importa. Não é uma questão de géneros. É sim porque algures aí no meio das letras me encontrei e me revi...

Continue. Gosto de o ter por cá. :)