sábado, 25 de abril de 2009

Comportando

As regras de conduta de um homem perante uma mulher podem dizer muito sobre ele mas sobretudo sobre ela, lentamente apercebo-me com alguma facilidade do que ela espera de mim, se gosta que seja um eterno cavalheiro, ou se dispensa completamente esse comportamento. Prefiro as mulheres que não me exijam qualquer tipo de atitude que não esteja disposto a oferecer-lhe. Óptimo que se sintam encantadas por lhes abrir a porta ou aconchegar a cadeira, mas da minha parte é preciso que esteja para aí virado e depende sobretudo de elas levarem-me a querer agradar-lhes, embora constate que, cada vez mais, muitas partem do princípio que os homens devem fazê-lo só e apenas porque elas como mulheres existem e eu não cedo a esse tipo de deíficação, não porque também não espero que me abram as pernas só porque me apetece e existo. Normalmente as que mais insistem nestes frou-frous são as mais convencidas de si mesmas, as que acham que o homem é um sortudo por estar a passar uns momentos na sua companhia e regra geral, essa mesma companhia é uma verdadeira bosta. Falam sobretudo de si próprias do quanto estudaram/viajaram/compraram, vergam-se aos conceitos sociais actuais do que é suposto uma mulher citadina fazer e limitam-se a ser estudos/viagens/compras. Não há nelas uma ponta de interesse que não nelas próprias e no centro gravítico á volta. Acham-se raínhas e senhoras num baile em que dificilmente algum homem quererá entrar pois acabará sempre por dançar com um vestido e não com uma pessoa. Sinceramente, para essas não tenho mesmo paciência nenhuma. Prefiro as que se sentam sózinhas, normalmente são mais definidas nas vontades e não constroem palácios infantis com masmorras impenetráveis mas cheias de coraçõezinhos.
Mas preferindo peixe não quer dizer que não coma carne de vez em quando e lá ando eu a tentar que a personalidade de um não ofenda a do outro. Não sei bem como, mas vai sendo feito.

5 comentários:

DeusaMinervae disse...

Também há homens assim, sabes?
Que para mim não passam de pessoas sem "conteúdo", superficiais, que vivem à base de aparências. Não sou assim como tu, pois prefiro abdicar da carne e comer só peixe. Mas um peixe de boa qualidade.

Blanche disse...

Concordo inteiramente com o comentário anterior, e sim, peixe só de boa qualidade, e da costa..

Kitty Fane disse...

Que falta de cavalheirismo não abrir a porta a uma senhora! Principalmente a mim que sou rabuda e dá-me trabalho abrir a porta e atirar as pernas para fora do carro enquanto me tento erguer com dignidade. Já não saio consigo!

Crente disse...

Acho que há um tempo para tudo... às vezes também gosto de ser tratada como uma princesa, mas combatendo ao mesmo tempo o facto de não precisar que façam o que quer que seja por mim. Gosto da independência que adquiri, ainda que tenha sido a vida a forçar. Mas sim, um acto de cavalheirismo ocasional faz-nos sentir meninas :)

Anónimo disse...

Seu texto revela apenas o que pensam boa parte dos homens,na sua maneira mais racional, curta,objetiva e prática de pensa, como as mulheres fossem assim tão simples. Seu texto, na minha opinião feminina,é preconceituoso, generalista e muito, muito superficial mesmo.

ass. Nathália