sábado, 19 de setembro de 2009

E?

Tem tatuada no pé uma qualquer frase de um livro que leu e que, segundo diz, é um lema. Trazia cuecas da côr das unhas e sublinhou quantas vezes pôde que liga muito a estes detalhes. Toquei-lhe na nuca e senti a cola enrijecida da aplicação de extensões, parece que só gosta de cabelos compridos e não consegue que os seus cresçam. E os olhos dispersamente maquilhados e concentradamente pesados, grandes pintados e carentes a esforçarem uma forma rasgada de sorriso mas a conseguirem menos que uma insatisfação devoluta e um afastar daquilo que eram os seus desejos iniciais, "bem-vinda ao clube" penso eu, mas sem deixar que isso me desvie a racionalidade em relação à boneca biónica prostrada á minha frente.
Despiu-se em menos de nada e admito que lhe arranquei as cuecas mais por desespero de deixar de ver aquela combinação vermelho-alaranjada de unhas-lingerie aos saltinhos tolos pelo quarto engrenados por uma pernitas curtas disfarçados nuns saltos que propriamente por tesão. Não fosse a persistência da boca mentolada para disfarçar o hálito de um maço de tabaco sempre presente na imagem fotográfica que guardei dela e teria dormido sem sequer considerar a companhia. Felizmente acordei só.
Ontem e hoje duas chamadas anónimas no meu telemóvel que não pude atender. Ou não quis. Prefiro manter a dúvida de quem seria e pensar que é o amor perdido a tentar comunicar comigo, a querer dizer-me "nunca te esqueci, vem para mim o mais rápido que possas que sinto tanto a tua falta" que atender e ser uma nulidade qualquer que me deixe desiludido por não ser ela.

3 comentários:

Francisco Vieira disse...

"Bem vindo ao clube", nesse mar de ansias e pensamentos.

provocação disse...

Quando não se acorda com quem se deseja mais vale mesmo acordar sózinha e dar graças por isso. como eu compreendo.

eu... disse...

O que praí vai... Se fosse mesmo o amor "perdido" a querer reencontrar-se já o saberias, sei do que falo. Para a frente!