quarta-feira, 2 de setembro de 2009

A navegar

Passei uns dias de férias com uns amigos, um deles tem um veleiro e percebi que o cúmulo da qualidade de vida passa por abordar em pleno mar alto um barco de pescadores, comprar três chernes de cerca de 12 kgs cada um e ter em vasto oceano o almoço mais saboroso da minha vida na companhia de pessoas maravilhosas e sem sequer precisar de vir a terra. Questionei-me porque raio de motivo se dá tanto valor a uma casa num sítio fixo, estático, limitado quando a liberdade de andar por aí pode ser tão melhor.

2 comentários:

Sophia disse...

Parabéns! Tem aqui um excelente blog!
Escrita de qualidade!

Gostei! Já li quase todos os post's!

Anónimo disse...

Somos mesmos aquarianos puros!
Nada nos prende aqui!

Maria Romão