segunda-feira, 26 de abril de 2010

Não fosse a coragem tão pouca

Ainda que tentasse, nem a troco da minha própria vida conseguiria devolver-te tudo o que nos tirei. Precisava tanto que soubesses disso. Precisava tanto, sobretudo de ti.
Cada vitória minha é uma vitória tua. Só tenho de arranjar forma de tas entregar.

8 comentários:

Pedro Almeida disse...

Como te compreendo...os CTT são uma vergonha.
Olha perde o amor ao dinheiro e usa a DHL!

provocação disse...

A coragem, quando a idealizamos é sempre tão maior. Quando a tomamos no entanto cai como loucura sem que não falte quem agoure os perigos que daí poderiam advir. Mas, chegado aos oitenta, fará mais diferença o que não se fez que o que se agarrou. Pega na merda do telefone.

Isilda disse...

Bem,ao ler o teu blog vejo que és um grande corta-interesse!
És muito chorão e sentimentalista.

Anónimo disse...

Epá ó Isilda, que chatice, já nem se dorme por causa de achares este blogger corta-interesse.

Carla disse...

Adoro-te, devias escrever mais...dá vontade de te conhecer

S* disse...

Hum... lindo.

Pirilampo Mágico disse...

Gostei muito do blog e acho que escrevesm uito bem

Anónimo disse...

A isilda gosta de gajos da caverna, com o cacete na mão e outro na testa dela.